Cirurgia de Catarata:

 

 

     A Cirurgia de Catarata (ou facectomia por faco-emulsificação com implante de lente intra-ocular) consiste na extração do cristalino doente e posterior colocação de uma lente artificial (ou lente intra-ocular / LIO) em seu lugar. É tipicamente realizada em pacientes com catarata (opacidade do cristalino), ou em alguns casos de pacientes com ametropias ( erros de refração ) muito altos.

 


 


Como é realizada

     

catarata


     É importante ressaltar que o sucesso da cirurgia é proporcional ao pré e pós operatório, à técnica utilizada e ao tipo de lente intra-ocular que vai ser


 implantada no olho, visto que maiores aberturas de implante, irão gerar imagens de pior qualidade no pós-operatorio. Existem algumas técnicas em uso nos dias de hoje.


São elas:


+ Facectomia intracapsular : a lente (ou cristalino) é totalmente removida após o seu congelamento (crioextração).


Facectomia extracapsular : faz-se uma abertura na cápsula anterior da lente natural e extrai-se o núcleo fragmentado por técnica manual. Ainda amplamente usada em pacientes do SUS ( sistema público de saúde ).


Facoemulsificação : a lente é removida por sucção e vibração, através de uma pequena cânula inserida na catarata. É a técnica que proporciona um período de recuperação visual mais rápido, até o momento.


Faco-laser : esta técnica encontra-se ainda em fase de aperfeiçoamento, não sendo realizada de rotina ainda.

 

     Após ilustrar as técnicas, vamos abordar agora com mais alguns detalhes, a técnica mais moderna em largo curso no mundo – A FACOEMULSIFICAÇÃO.

 

     O Facoemulsificador é um moderno equipamento computadorizado que opera a facectomia, através de um pequeno orifício de 2,5mm, onde a ponta da caneta do faco é introduzida no olho e emite uma energia ultra-sônica que emulsifica (liquefaz) o cristalino, removendo-o através de uma aspiração. A cápsula posterior do cristalino é deixada, na íntegra, para acomodar a lente intra-ocular, que tem o grau previamente medido através de exames para cada paciente. Há alguns anos atrás, devido a ausência da lente artificial, o paciente tinha que usar óculos com lentes grossas e pesadas. Com essa técnica, os óculos só serão necessários para enxergar de perto e eventualmente para descanso da vista.

 


     Após a retirada de toda a catarata, é implantada uma lente intra-ocular, que pode ser dobrável (flexível) ou não dobrável (rígida). Essa técnica é realizada através de uma pequena incisão de aproximadamente 3 mm, não sendo necessária sutura (dar pontos) ao seu término, porque cicatriza rapidamente devido a sua incisão auto-selante.



Lente intra-ocular


     Atualmente contamos com diversas opções de lentes intra-oculares. Cabe ao paciente, juntamente com o seu cirurgião, escolher o melhor tipo de lente para o seu caso.


Basicamente as lentes intra-oculares
 se dividem em dois grupos:img-cataract05  

+ Lentes Intra-oculares Rígidas (não dobráveis): A lente rígida é uma lente de fabricação nacional. Por suas características de rigidez, a abertura realizada nos olhos precisa ser aumentada de 3 para 7 mm. Esse tipo de abertura não é auto-selante. Com isso, é obrigatória a realização de uma ou mais suturas no olho para manter a vedação. A opção por este tipo de lente permite que o paciente se recupere da catarata e possa enxergar de forma adequada. Com os pontos no olho, é normal que seja induzido um astigmatismo que torna maior o grau do óculos depois da cirurgia de catarata. Vale a pena ressaltar que quanto maior a abertura realizada no olho, maior o risco de infecções ,mais demorado o tempo de recuperação pós-operatório e pior a imagem gerada pelo olho no pós-operatório. ( Esse é o tipo de lente oferecido no SUS e por alguns planos de saúde )


Lentes Intra-oculares Flexíveis (dobráveis): O material dessa lente é um tipo de acrílico flexível desenvolvido nos Estados Unidos, que permite que possa ser dobrada e injetada no olho através de um instrumento semelhante também a uma caneta de ponta fina, pela abertura de 3 mm na borda da córnea inicialmente feita no processo da faco-emulsificação, não necessitando a ampliação dessa incisão. Como esta abertura tem um tamanho realmente microscópico, ela é auto-selante e não necessita de suturas (pontos) na córnea. Com esse tipo de lente a cirurgia de catarata tem recuperação  ainda mais rápida, o risco de infecção cai e como teremos menos astigmatismo, o olho produzirá uma imagem mais fidedigna na grande maioria dos casos.

   

      Dentro do grupo de lentes flexíveis, temos também a opção de corrigir erros refrativos (miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia), juntamente na cirurgia de catarata, ou seja, além de retirarmos acatarata, contamos com uma variedade de lentes intra-oculares especiais, que ajudam também a corrigir esses erros refrativos (Cirurgia Faco-Refrativa). Consulte o nosso especialista em catarata para saber qual a lente intra-ocular é a mais indicada para melhor satisfazer a sua visão no pós-operatório.



Cuidados pré-operátorio

 

 

+ Manter a obediência medicamentosa para favorecer a recuperação do pós-operatório;

799px-Cataract surgery

 

+ Se o paciente for portador de glaucoma ao ser encaminhado à sala de operação, a enfermagem deverá avisar ao pessoal da sala, relatando com a letra legível e em lugar de destaque;

 

+ Estimular o paciente a tomar os autos cuidados com a diminuição visual, pois o paciente tende a desvalorizar o seu físico;

 

+ Fazer o preparo psicológico e orientá-lo sobre o comportamento pós-operatório;

 

+ Explicar ao paciente a rotina intra-operatória; se for submeter-se à anestesia local, orientá-lo sobre a importância da sua participação, metendo-se calmo e quieto durante a realização da cirurgia, mesmo percebendo o olho cheio de sangue; orientá-lo a solicitar mudança de posição se for necessário e, caso sinta necessidade de tossir, dar sinal com a mão,

 

+ Instruir sobre as limitações do pós-operatório quanto a exercícios graduados, sobre o tipo de dieta que favoreça a eliminação, orientá-lo a evitar a tosse e o espirro e pedir medicação inibidora.

 

 

 

Orientações para a alta


 

+ Orientar o paciente a não dormir sobre o lado operado;


+ A não esfregar os olhos nem apertar as pálpebras, mesmo com os olhos fechados;


+ Ao lavar o rosto, procurar evitar o sabão no olho operado;


+ Evitar pegar peso do chão, de acordo com a orientação médica, e ensinar a curvar-se sobre os joelhos para apanhar algo no chão;


+ Ler ou assistir TV com moderação e uma distância que não exija esforço;


+ Só dirigir com liberação médica;


+ Usar óculos escuros ao andar ao sol;


+ Pedir que obedeça as orientações da enfermagem e do médico para o seu próprio benefício;


+ Orientá-lo a procurar o médico se notar alterações impróprias. Exemplos: dor e vermelhão no olho, edema, drenagem, dor nas sobrancelhas, obscurecimento da visão, diplopia, película à frente da visão, chuviscos, escotomas, halo em volta da luz, cefaléia persistente e secreção ocular.


HPLOGOMARCDAGUA

 

Redes Sociais



 

 

LiveZilla Live Help

 

 

 

Fale Conosco